Lançado 1º edital de iniciação científica para estudantes de graduação

Estudantes matriculados nos cursos de graduação da Universidade do Distrito Federal Professor Jorge Amaury Maia Nunes (UnDF) e de suas escolas vinculadas poderão concorrer a uma das 30 bolsas de iniciação científica oferecidas pelos programas institucionais de iniciação científica (PICs) e de desenvolvimento tecnológico e inovação (Pidtis). O valor mensal da bolsa a ser pago por projeto selecionado é de R$ 700, totalizando R$ 252 mil em investimentos. 

As inscrições devem ser feitas do dia 26 deste mês a 8 de março, no site da UnDF. Docentes candidatos a orientador também participam deste edital. Para se inscrever é preciso acessar a plataforma Solis e entrar com os dados. O estudante que não tiver o cadastro deve solicitar o acesso junto à Secretaria Acadêmica Geral da UnDF. O edital n° 1 para a seleção de projetos de pesquisa foi publicado no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) desta sexta-feira (16). 

Universidade e ensino médio

O PIC e o Pidti são iniciativas voltadas ao desenvolvimento e aprimoramento da pesquisa no que se refere à formação de estudantes da graduação da UnDF e do ensino médio do Distrito Federal, regulamentados pela Resolução nº 15/2023. Nesta primeira oferta de bolsas de pesquisa científica, o edital é destinado apenas aos estudantes da UnDF e das escolas vinculadas.  Posteriormente, será lançado um novo edital que contemplará os estudantes do ensino médio.

Segundo a norma, o PIC contemplará a pesquisa básica ou aplicada, e o Pidti  envolverá o desenvolvimento, o aperfeiçoamento e o estudo de viabilização de produtos, protótipos, processos, serviços, sistemas ou modelos de negócios, sempre sob a supervisão de um professor orientador da UnDF ou de suas escolas vinculadas.

“A publicação do edital nº1 representa um momento histórico na implantação dos programas de iniciação científica da UnDF”, afirma a pró-reitora de Pesquisa e Pós-graduação da UnDF, Fabiana França. “Enquanto primeiro edital de pesquisa, ele inaugura, oficialmente, o início da produção científica na universidade. Com os esforços reunidos para a sua publicação, já no início das atividades letivas, a UnDF confirma a missão de responsabilidade e compromisso com a indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão.”

Comissão de avaliação

A avaliação dos projetos de pesquisa ficará a cargo da Comissão Docente de Avaliação Técnico-Científica (Codatec) da UnDF, criada pela Portaria nº 1/2024. “A Codatec da UnDF é composta por docentes qualificados encarregados de avaliar e acompanhar a qualidade técnica e científica dos projetos de pesquisa submetidos pelos membros da comunidade acadêmica”, explica a professora Larissa Araújo Matos, presidente do colegiado. “Ademais, atua fornecendo feedbacks construtivos aos pesquisadores para ajudá-los a aprimorar suas propostas, sendo que este processo de revisão por pares é fundamental para garantir a qualidade das pesquisas a serem realizadas na universidade”.

A docente dá mais detalhes: “Na seleção dos projetos, tanto na modalidade espontânea quanto na induzida, será realizada uma análise criteriosa considerando relevância, originalidade do projeto e viabilidade técnico-científica. A comissão valorizará propostas inovadoras e com potencial de impacto na comunidade acadêmica e na sociedade”.

“A UnDF tem muito a aprender, vivenciar e somar, a partir do empenho de esforços necessários em defesa da educação e da universidade pública brasileira”
Simone Benck, reitora pro-tempore da UnDF

De acordo com o edital, os estudantes que não forem contemplados com a bolsa poderão desempenhar as atividades propostas no projeto de pesquisa como voluntários. A participação como estudante voluntário será considerada como pontuação para as próximas seleções de projetos.

Democratização da ciência

“A abertura dos programas de pesquisa pela UnDF publicada hoje precisa configurar, portanto, uma necessária frente de conscientização sobre a  importância da cultura de democratização da ciência em nossa sociedade”, afirma a reitora pro-tempore da UnDF, Simone Benck. “A UnDF tem muito a aprender, vivenciar e somar, a partir do empenho de esforços necessários em defesa da educação e da universidade pública brasileira.”

A pró-reitora de Pesquisa e Pós-graduação da UnDF, Fabiana França, reforça que a ação marca o compromisso da UnDF em protagonizar no cenário científico. “O DF já tem uma referência muito positiva de pesquisa de alta qualidade com a Universidade de Brasília”, aponta. A “UnDF nasce, então, com o dever de incentivar o valor mais genuíno do ser humano pesquisador: o saber perguntar, o saber identificar problemas que possam ser investigados, pesquisados e que possam reverberar com soluções ao longo da sua formação acadêmica e trazer retorno social”.

Auxílios estudantis

A oferta de bolsas de pesquisas científicas aos estudantes da UnDF e de suas escolas vinculadas integra a Política de Assistência Estudantil (PAE), que contempla o pagamento de benefícios financeiros nas modalidades auxílio-permanência (R$ 660), auxílio-transporte (R$ 300) e auxílio-creche (R$ 485).  Desde outubro do ano passado, 112 estudantes participam da PAE.

Acesse o formulário de inscrição o programa de iniciação científica.

*Com informações da UnDF

Fonte: Agência Brasília

spot_img
spot_img
spot_img