[adrotate banner="2"]

Pacientes elogiam atendimento humanizado no HCSol

O diretor-presidente do Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal (IgesDF), Juracy Cavalcante Lacerda Jr, realizou uma visita ao Hospital Cidade do Sol nesta quinta-feira (5). Durante a passada pelas instalações geridas pelo instituto, o gestor aproveitou para conversar com os pacientes internados na unidade, onde ouviu elogios de todos sobre o atendimento recebido.

Foi o caso de Docas de Melo Oliveira, 66 anos, paciente internada com pneumonia. Acompanhada da filha Andreia de Melo Oliveira, ela elogiou a limpeza, o atendimento humanizado e a qualidade nos serviços prestados. “Até para colher nosso sangue, a equipe é muito carinhosa”, disse, emocionada.

Dona Silvana Maria Araújo Nascimento, 64 anos, também internada por pneumonia, acompanhada do filho Marcos Guerra, 45 anos, fizeram questão de dar um depoimento. “A comida é muito boa e a limpeza é exemplar. Me sinto como se estivesse em um hospital particular”, elogiou Marcos.

O diretor-presidente do IgesDF, Juracy Cavalcante, ouviu atentamente os pacientes e ficou muito feliz em ouvir os elogios. “O instituto tem se preocupado cada vez mais em melhorar a experiência do paciente e do usuário, prestando um atendimento humanizado e de qualidade”, disse.

O HCSol foi a primeira unidade do IgesDF a realizar uma pesquisa de satisfação com seus usuários. A sondagem foi aplicada pelos auxiliares de humanização em entrevista beira-leito ou respondidas espontaneamente por meio de escaneamento de QR Code. Segundo os dados coletados, o hospital atingiu a zona de excelência, indicando uma alta satisfação dos usuários com pontuação de 88,1% no mês de fevereiro, 90,08% em março e 87,24% em abril.

A visita serviu para celebrar uma marca importante: o HCSol chegou a 2 mil altas hospitalares nesta semana. Desde que o IgesDF assumiu a gestão em fevereiro deste ano, o número de leitos aumentou de 17 para 60, a fim de atender os internados pela epidemia de dengue.

Com a diminuição da incidência da epidemia, o HCSol passou a receber pacientes com outras doenças, como pneumonia bacteriana, broncopneumonia e gastroenterite, por exemplo. O hospital promove também atividades como musicoterapia, e oferece o wi-fi Social, além de iniciativas como o prontuário afetivo e a realização de fisioterapia ao ar livre, todas com o intuito de acolher de forma mais humanizada os pacientes.

O gerente do HCSol, Flávio Amorim, falou sobre a importância da experiência do paciente com relação aos aspectos clínicos, emocionais, sociais e logísticos. “Nos preocupamos com a qualidade dos cuidados de saúde, pois influenciam diretamente nos resultados clínicos e na satisfação do beneficiário”, destacou.

*Com informações do IgesDF

Fonte: Agência Brasília

[adrotate banner="6"]
spot_img